Pesquisar este blog

Carregando...

11 de agosto de 2016

Leitura crítica, agenciamento literário, revisão, editoras, distribuidoras... Conheça mais do mercado editorial!




L
eitura crítica, agenciamento literário, revisão, editoras, distribuidoras, livrarias...
Para quem está começando a escrever, são tantos os papéis e serviços envolvidos na criação, impressão, divulgação e venda de um livro que a confusão é certa.

 Seguindo, então, a sugestão de uma colega, neste post vamos dar uma visão (muito) simplificada de alguns dos profissionais e serviços envolvidos nos processos de criação, divulgação e venda de um livro. Qualquer dúvida, fiquem à vontade para perguntar!
Além destes papéis, há também clubes, associações e agremiações variadas de escritores e de leitores, coaches literários, empresas que promovem ações de storytelling corporativo e muitos outros indivíduos ou grupos que atuam de forma mais ou menos relacionada com o mundo literário; mas espero que o que apresento sejam aqueles papéis mais úteis para o escritor.
Escrever pode ser uma atividade solitária, embora não necessariamente o seja. Produzir um livro é obrigatoriamente um esforço conjunto
  • Leitor Crítico: O leitor crítico é, basicamente, um leitor profissional que vai ler seu texto à procura de problemas que possam atrapalhar sua aceitação pelos editores e leitores. Ele não vai consertar seu texto, e dependendo do leitor a crítica pode ser mais ou menos precisa, indicando pontos específicos a serem ajustados ou falando, de maneira geral, quais os grandes problemas da obra (como, por exemplo, "diálogos pouco convincentes"). A dica é: se você está pagando por este serviço, você tem o direito de entender bem a avaliação realizada; se não entendeu, retorne ao leitor crítico quantas vezes for necessário para que os problemas estejam claros em sua cabeça. Ele é o profissional, portanto ele tem a responsabilidade de gerar uma avaliação que seja útil a você!
  • Copidesque: O serviço de copidesque é um pouco mais "completo" (e, portanto, mais caro) que o realizado pelo leitor crítico: além de detectar problemas, o profissional de copidesque vai efetivamente alterar seu texto, o quanto for necessário, para adequá-lo aos "padrões de mercado" ou da editora. O autor continua sendo somente você, mas o texto pode ser radicalmente transformado neste processo.
  • Revisor:  O trabalho do revisor, usualmente, se resume a corrigir os erros de português de sua obra. Bons revisores vão também sugerir ajustes como diminuir frases muito longas ou tornar mais claros trechos que estejam obscuros, mas o mais comum é que não alterem seu texto neste caso.
  • Diagramador: O diagramador é quem vai pegar seu texto final e formatá-lo adequadamente para o tamanho de página, tamanho de letra, espaçamento entre linhas, tamanho das margens, detalhes nas aberturas de capítulo, ilustrações etc; conforme o livro a ser impresso. A dica aqui é: Um livro bem diagramado é bem mais fácil de ler e tem uma apresentação bem mais profissional; portanto não ache que você consegue fazer este trabalho sozinho. Economizar dinheiro com um diagramador é um dos erros mais comuns quando autopublicando.
  • Ilustrador: Se seu livro é infantil, a ilustração deve completar o texto, não simplesmente repetir o que está sendo escrito. Se é um livro adulto, a ilustração muitas vezes serve meramente para quebrar um pouco a dureza de muitas páginas de texto. Uma dica: As editoras usualmente têm ilustradores cadastrados e que seguem o padrão visual da editora; então, não gaste dinheiro pagando um ilustrador antes de enviar o livro para editoras, pois eles podem simplesmente descartar o trabalho, por melhor que seja.
  • Capista: A capa é o primeiro elemento que chama a atenção do leitor, além de ser um elemento decisivo na compra. As dicas aqui são óbvias: Economizar dinheiro (quando autopublicando) fazendo sua própria capa é um enorme erro, pois o resultado é sempre visivelmente amador. E gastar dinheiro fazendo uma capa antes de enviar às editoras é desperdício de dinheiro.
  • Gráfica: É quem imprime o livro, apenas. Uma gráfica não irá realizar nenhuma das outras atividades desta lista.
  • Editora: Uma vez aprovado seu original, a editora vai realizar vários ou até todos os serviços desta lista, além de registrar na Biblioteca Nacional (sim, você pode registrar antes...), solicitar um ISBN para cada edição, montar a ficha catalográfica e muitos etc.
  • Editor: Dentro da editora, é o profissional responsável por selecionar os livros conforme as linhas editoriais que seja responsável. Este é o cara que você precisa impressionar.
  • Agente Literário: É o profissional que conhece bem o mercado, tem contato com editoras, conhece as leis que regem os direitos autorais, e que irá fazer a ponte entre o autor e a editora, gerindo a lado legal da carreira do autor, e encontrando editoras que desejem publicar seus livros. Ele poderá indicar serviços, por exemplo, de assessoria de comunicação e marketing, mas não está nas suas atribuições normais fazer tais serviços. Uma dica importante: O agente literário usualmente recebe um percentual dos royalties do livro destinados ao autor. Se um agente quiser lhe cobrar uma taxa mensal para lhe representar, ou se garantir que vai conseguir uma editora (ou até uma produtora de filmes...) para seu livro, desconfie muito. E fuja!
  • Assessor de marketing e/ou imprensa: São os responsáveis por procurar espaço para divulgação de seus livros na imprensa, internet e outros locais. Uma dica importante é avaliar a proposta de trabalho e verificar se o assessor tem experiência com divulgação no mundo virtual e como vai fazê-lo; este é um espaço que poucos profissionais têm experiência verdadeira.
  • Distribuidor: Os distribuidores fazem a ponte entre as editoras e as livrarias que não fazem parte de redes. As grandes redes de livrarias, como FNAC, Cultura, Leitura, Saraiva e outras, têm sua própria rede de distribuição.
A regra de ouro é a mesma para todos os serviços: nunca pague nada a ninguém sem antes 1) Conhecer que outros trabalhos foram realizados por aquele profissional e 2) Fazer uma pesquisa de mercado para saber se o preço sendo cobrado é justo.
Infelizmente neste mercado há muitos iniciantes e muitos profissionais que cobram muito acima da média de mercado, então todo cuidado é pouco!

E você, gostaria de completar com alguma informação? Esqueci algum serviço importante? Tem alguma dúvida? Comente e compartilhe com os colegas!

Gostou? este post!

4 de agosto de 2016

Lançamento de A Bíblia do Escritor, As Incríveis Memórias de Samael Duncan e muito mais!


A
migos!
        Esta semana estou focado em meus novos lançamentos, mas já estou com um post muito interessante agendado para a próxima quinta-feira, dia 11: uma visão geral sobre quais são os principais serviços envolvidos na produção e venda de um livro, do leitor crítico ao assessor de marketing.
        Daqui até lá, gostaria de divulgar os lançamentos que farei neste próximo dia 10 de agosto, próxima quarta-feira, na Visconde Livraria de Café da 405 Sul - estarei lá a partir das 18h00, ou até uma hora mais cedo se me for possível.
         São quatro livros que estavam represados faz algum tempo nas editoras, e que aproveitando a feira do livro de Brasília fora editados:


  • O Mistério do Facebook do Futuro:  Um raio cai perto da casa de Piolho, e seu Facebook começa a mostrar posts da semana seguinte! Obviamente, isto trará mais confusões que benefícios. Uma aventura da Turma dos Quatro Fantásticos, um grupo de amigos da idade dos leitores recomedados: entre 9 e 12 anos.
  • Dois livros da Coleção Era Outra Vez, que reinventa antigas fábulas, com um viés de cidadania, educação financeira e ambiental. Os personagens são os mesmos - Cigarra e Formiga, Lebre e Tartaruga, Três Porquinhos... - mas as histórias são totalmente diferentes, e a mensagem apresentada para as crianças é sempre que o mais certo é o caminho do equilíbrio entre trabalho e diversão.
  • A Bíblia do Escritor:  A obra há muito esperada por todos os leitores do Vida de Escritor, com o que vocês veem aqui post após post, mas organizado na forma de um processo bem organizado que leva o escritor da ideia inicial até a produção e divulgação do livro. Uma obra essencial para todos escritores, e que estará sendo vendida com desconto neste segundo lançamento.  Quem não estiver em Brasília pode comprar via internet, no site da editora Thesaurus.
        O lançamento inédito será do livro “As incríveis memórias de Samael Duncan” - para mim, o meu melhor trabalho até agora, no que tange à criação de personagens que apaixonam e que deixam no leitor aquela sensação de saudade, de querer ler mais, de não ter coragem de terminar o livro porque isso seria uma despedida dolorosa;
        O livro é, na falta de definição melhor, uma fábula, uma narrativa leve e agradável com elementos por vezes quase míticos, mas sempre envolvendo aprendizado e emoção. Envolve momentos de “fluxo de consciência” e diversos flashbacks à medida que o personagem principal relembra seu passado, sempre associado a algum sentimento despertado no presente. As histórias transitam entre o real e o quase-imaginário, naquelas situações que todos passamos uma ou outra vez na vida, onde os limites da realidade parecem, nem que seja por um instante, serem menos rígidos do que usualmente acreditamos.
        Cada capítulo do livro leva o nome de uma pessoa que marcou Samael, e é dividido em duas partes: o tempo presente de Samael Duncan, um aventureiro que atingiu a casa dos... - bem, digamos apenas que ele é muito velho! -; e um episódio do passado do personagem, com foco na pessoa que nomeia o capítulo.
        No presente, o ancião inicia em uma cadeira de rodas, mas durante a escrita de suas memórias encontra novas energias, e aos poucos recomeça a andar e a se sentir mais vigoroso.  No entanto, ele acaba descobrindo segredos sobre o seu passado que minam sua saúde novamente, fazendo-o aos poucos se aproximar mais e mais da morte.
        À medida que o livro avança, ficamos cada vez mais preocupados, sem saber se Samael vai conseguir desvendar seus segredos a tempo, ao mesmo tempo que começamos a montar um "mapa" de sua vida em nossa cabeça, conhecendo melhor suas motivações, medos, escolhas, amores e aventuras. As histórias do passado acontecem em países e tempos diferentes, sem seguir uma ordem cronológica, mas à medida que a narrativa avança começamos a entender o porquê de ele estar em cada lugar, e as escolhas que o levaram até aquele momento, onde ele começou a escrever suas memórias.
        O livro conclui com... Não, não vou dar spoilers, mas podem acreditar que o final é algo que vocês irão querer reler algumas vezes, para entender todas as camadas de significados que carrega.
        'Samael' é meu livro mais significativo até hoje, aquele que mais mostra sentimentos e medos mais profundos não apenas da alma de Samael, mas também da minha, expressos nas entrelinhas de toda a obra.
        Espero vocês lá!
Serviço:
          Onde:  Visconde Livraria de Café da 405 Sul
         
Quando:  dia 10 de agosto, próxima quarta-feira, a partir das 18h00
         
O que:  Lançamento de A Bíblia do Escritor, As Incríveis Memórias de Samael Duncan, O Mistério do Facebook do Futuro e dos primeiros dois volumes da Coleção Era Outra Vez 


Apareça, comente, compartilhe com os colegas; e depois de ler o livro pode retornar aqui e deixar seus comentários! :)

Gostou? este post!

25 de junho de 2016

8 Workshop de Escrita de Ficção

Amigos Escritores,

Estamos a duas semanas do 8o Workshop de Escrita de Ficção do Vida de Escritor, ainda temos algumas vagas.
Estou organizando os últimos detalhes para o evento, e será um prazer poder contar com alguns de vocês nesta edição - a última no Brasil pelos próximos dois anos.  
 Seguem informações resumidas sobre o evento, e qualquer dúvida é só entrar em contato ou escrever um comentário neste post.

8º Workshop de
Escrita de Ficção
Brasília, dias 9 e 10 de julho, no Pro+Offices, Setor Comercial Sul


O conteúdo:
Técnicas práticas, trazidas de cursos de storytelling americanos e ingleses, para estruturar o trabalho do escritor ou roteirista desde a produção da premissa, que organiza e valida a ideia inicial, até artifícios para prender a atenção dos leitores, passando por técnicas de estruturação da trama, desenvolvimento de personagens e das cenas. O workshop conclui com dicas sobre o mercado editorial brasileiro e como melhorar suas chances de conseguir a editora perfeita para seu trabalho.
Como acontece:
O workshop são dois dias de imersão (das 9:00 às 18:00) em teorias e práticas que reforçam o aprendizado das ferramentas apresentadas. Além do coffe-break, os participantes receberão uma cópia do "A Bíblia do Escritor", de Alexandre Lobão, antes de seu lançamento oficial em Brasília.  
Público-alvo:
Escritores e roteiristas iniciantes ou em qualquer ponto da carreira que tenham interesse em aprender técnicas utilizadas por autores profissionais.
Informações e inscrições: http://alexandrelobao.com/workshop
ou direto com o facilitador: Alexandre Lobão, contato@alexandreLobao.com, (61) 98112.2415


Forte Abraço a todos, e até lá! :)

21 de junho de 2016

Quem são e o que fazem os editores?


A
ntes de mais nada, gostaria de lembrar que as inscrições para a 8a edição do Workshop de Escrita de Ficção do Vida de Escritor estão abertas!  Esta será a última edição no Brasil pelos próximos dois anos, então, veja detalhes no site do evento e se programe para participar, nos dias 9 e 10 de julho!
É difícil explicar em poucas palavras, mas basta dizer que o editor é o “pai adotivo” do livro, é ele quem transforma um rascunho em uma obra digna de ser lida.

Obviamente há todos os tipos de editores, desde aqueles que são meros negociantes até aqueles que não só amam os livros, mas que também participam de sua construção.

Os “editores negociantes” só veem o livro apenas como uma fonte de renda e têm o foco em descobrir livros que fazem sucesso lá fora ou, no máximo, descobrir autores nacionais que escrevem livros “da moda” ou na mesma linha de livros internacionais de sucesso. Estes editores, inclusive, são mal vistos no mercado justamente por delegarem ou deixarem de lado questões importantes, associadas à escrita do livro em si.
Já os editores “de verdade” têm um papel primordial na criação do livro. Um bom editor conhece o mercado literário atual e suas tendências, em especial o público alvo das obras que ele produz, e com este conhecimento sobre “o que funciona e o que não funciona” para este público, além de uma boa visão sobre o que ele considera literatura de qualidade (perceba que não estou falando em termos absolutos...), ele orienta o escritor sobre possíveis ajustes no livro. Só com um bom editor um livro atinge o seu potencial máximo.
Vale a pena contar uma história real, para que fique claro até que ponto esta intervenção pode chegar.

Um escritor brasileiro, de quem prefiro não contar o nome, enviou um livro para a Bloomsbury, editora inglesa que publicou o Harry Potter no final da década passada. O livro foi bem recebido, e o editor percebeu que a obra tinha um bom potencial, mas que a conclusão da obra era insatisfatória, ou pelo menos não era a melhor possível, para seus leitores. Entrando em contato com o autor, o editor propôs que a editora contratasse outro escritor para escrever o último terço do livro, de forma a entregar algo com mais apelo aos leitores. O nome do segundo autor não sairia nos créditos (seria um “ghost writer”), então para todos os efeitos a obra continuaria sendo 100% do autor original. O autor aceitou, e o livro fez bastante sucesso, abrindo as portas do mercado internacional para este escritor.

Da minha parte, toda vez que vou escrever um livro sob encomenda (sim, bons editores também fazem isso; encomendam livros para atender a determinados nichos de mercado que percebem que estão pouco atendidos), escrevo apenas as linhas gerais da obra, entregando ao editor uma proposta em alto nível do que será o livro. O editor avalia, sugere, modifica, e quando fechamos a visão geral da obra, começo a produzir o trabalho. No caso de livros técnicos (como “Quilombos e Quilombolas”, livro que escrevi sob encomenda lançado pela editora Mazza ano passado), o editor muitas vezes participa ainda mais ativamente, recebendo capítulo por capítulo da obra e indicando ajustes a cada passo.

É, isso pode ser um choque para quem ainda imagina que escrever é uma atividade solitária, que o escritor espera a musa chegar, e quando a inspiração chega o autor coloca sua alma no papel e ninguém mais mexe.

Mas, por mais que exista este lado “romântico” da escrita, todo escritor precisa lembrar que ele só se torna realmente um escritor se sua obra for publicada. E sem a participação do editor, o ciclo não fecha, e o original fica na gaveta.

Obviamente, estou falando apenas das versões impressas por editoras. Textos autopublicados, sejam virtuais ou físicos, existem aos montes. E é talvez nestes textos que o público em geral perceba a importância do editor: Fora as inevitáveis exceções, o que vemos são obras mal acabadas, textos fracos, pouco profissionais.

Porque, no fim, é este o trabalho maior do editor: garantir que cada livro atinja todo seu potencial, não apenas comercial, como também artístico. E todo autor profissional procura justamente isso: alguém que lhe aponte os caminhos a seguir para melhorar seu trabalho.

E você, gostaria de completar com alguma informação sobre os editores com quem já trabalhou? Comente e compartilhe com os colegas!

Gostou? este post!