12 de agosto de 2013

Como publicar um eBook? Preciso registrar meu livro? Mais um post da série Dúvidas de Escritor


S
abe aquela duvidazinha que fica ali, incomodando, e você não sabe para quem perguntar?
Seus problemas acabaram!  Envie suas dúvidas para o Vida de Escritor, por email ou comentando aqui no blog, e terei prazer em responder - e ainda mais prazer em descobrir a resposta, caso eu não saiba!
Vamos, então, a mais uma compilação de perguntas e respostas neste post da série Dúvidas de Escritores.

Pergunta: Tenho um livro escrito, porém sem registro. Pretendo divulgar algumas páginas por conta própria como “degustação”. Sendo assim, esse conteúdo precisa ser registrado na BN como se fosse a obra completa?
Resposta: O registro na BN serve para proteger os seus direitos autorais, ou seja, serve para você provar que é dono do texto. Você pode registrar contos, trechos ou o livro inteiro, mas vai pagar para cada registro (R$ 20,00, a última vez que vi); então se você tem o livro inteiro, o ideal é registrá-lo de uma vez, mesmo que depois o livro possa sofrer alguma revisão. Um detalhe importante é que algumas editoras têm
Dúvidas de Escritores
contratos que liberam apenas 10% da obra para divulgação livre na internet pelo autor, assim, cuidado para não dar “degustações” demais, que possam comprometer o interesse das editoras. Por outro lado, se você consegue uma grande legião de fãs, isso pode ajudar muito, então pese estes dois fatores enquanto vai liberando conteúdos, aos poucos, e monitorando o impacto no crescimento de seu público-alvo.

Pergunta: E sobre a revisão da obra, como é feito o orçamento?
Resposta: Quanto à revisão, usualmente ela é cobrada por página ou por palavra, algo entre 1 ou 2 centavos por palavra ou entre 6 e 12 reais por lauda - também valores antigos, de uns três anos atrás, e do mercado de Brasília, podem varia bastante por aí. Lembre-se que REVISÃO tem a ver com rever o português e pequenas falhas de construção, não a estrutura ou a “qualidade” da obra; o que seria alvo de uma LEITURA CRÍTICA. A leitura crítica é orçada de diversas formas, alguns cobram por palavra, outros de acordo com o número de páginas e a complexidade do tema e da trama; mas geralmente é pelo menos duas vezes mais cara que a revisão.
Pergunta: Quando começo a escrever, muitas vezes me sinto um idiota...

Resposta: Esqueça a autocrítica quando escrevendo para evitar perder boas ideias no nascedouro. Lembre-se: Sempre há oportunidade de rever depois
Pergunta: Tenho uma ideia para um livro, já estudei Joseph Campbell, Syd Field e a estrutura Aristotélica. A questão é que não sei como estruturar tudo. Já sei início e o final da obra, também pensei nos protagonistas, algumas vezes, quando sento para anotar coisas sobre os personagens no caderno para utilizar depois me sinto idiota.
Resposta: Antes de mais nada, esqueça a auto-crítica quanto for escrever, as primeiras anotações sempre parecem bobas; mas a medida que o livro cresce e os personagens tomam forma, as coisas fracas vão ficando de lado.  Não há como começar já com a visão sofisticada e completa de tudo, o começo é simples mesmo.
Quanto à estrutura, primeiro pense nas cinco cenas principais:
  • 10% - quanto os personagens foram apresentados e acontece algo que os levará à “aventura” (mas usualmente eles relutam)
  • 25% - quanto efetivamente a aventura começa, e não dá para voltar atrás
  • 50% - quando é “queimada a última ponte”, a única forma de prosseguir é em frente
  • 75% - quando se inicia a resolução do problema efetivamente, a vitória já pode ser pressentida mas parece impossível de ser atingida
  • 90% - quando chega o clímax e a aventura se resolve
Lógico que isso é uma simplificação, mas já é suficiente para dar uma direção e ajudar no trabalho. 

Pergunta: Onde e como posso fazer um e-book para ser distribuído de graça? Explicando melhor: Como publicar já tenho um livro em PDF. Mas quero manda-lo para a Cultura (Kobo) e Amazon (kindle). Como faço isto? É o próprio PDF ou precisa converter?
Resposta (do colega escritor Fernando Gurgel): Para distribuir gratuitamente, o melhor parece ser o portal: http://www.ebookcult.com.br.  No ebookcult, role a tela do computador até a parte debaixo e procure o item "Envie seu Livro". Preencha os dados e envie o PDF. O livro será analisado e publicado.
Mas você, também, pode e deve publicar em seu próprio blog, e avaliar outras alternativas como:

  • Na Amazon.com há vários livros que ensinam a formatar e a publicar, como este, por exemplo: "Como Formatar e Publicar seu Livro na Kindle Store da Amazon [Edição Kindle]"" Veja no site: http://www.amazon.com.br/Formatar-Publicar-Kindle-Amazon-ebook/dp/B005JFMFHW 
  •  Para outros exemplos de publicações de ebooks, veja aqui:   http://www.dualpixel.com.br/labs/onde-posso-distribuir-meu-ebook
  • Por exemplo, para publicar no iBooks Store, da Apple, veja este tutorial: http://www.dualpixel.com.br/artigos/ebooks/244-como-publicar-livros-na-ibooks-store.html
  • No Google Play, siga o tutorial do próprio Google: https://support.google.com/books/partner/answer/106169?hl=pt-BR


  • E você, há algo que gostaria de saber sobre o processo de criação de um livro ou sobre o mercado livreiro? Pode perguntar!

    Gostou?  este post!

    9 comentários:

    valdir nogueira disse...

    Olá, gostaria de fazer um ebook ensinando meu trabalho para que possa ser vendido posteriormente e queria saber quanto poderia me custar e como faço para contratar um escritor.

    obrigado: Valdir Nogueira.

    Blandino Almeida disse...

    Boa tarde:

    Na verdade encontro-me envolvido num projeto próprio, no âmbito da ficção.
    Há condições para obter apoio e levar a cabo o seu projeto desde que não exceda a capacidade de consulta técnica do autor do comentário.
    Sempre ao dispôr
    Atentamente
    bjpafa

    João Bemgiz Cordeiro disse...

    O novo link para a matéria : "Como Formatar e Publicar seu Livro na Kindle Store da Amazon [Edição Kindle]" é este :

    http://www.dualpixel.com.br/labs/como-publicar-livros-na-ibooks-store

    Thiciane disse...

    Olá, meu nome é Thiciane e eu tenho 14 anos. Estou na metade do processo de revisão do meu primeiro livro, decidi fazê-lo por conta própria. Quando terminar todo o processo, mostrarei meu livro a diversas pessoas que o avaliarão, embora nenhum deles seja um leitor critico. A opinião deles poderá servir mesmo assim como uma leitura crítica

    Alexandre Lobão disse...

    Oi Thiciane,
    Com certeza, é por aí mesmo. O leitor crítico é basicamente um leitor muito experiente que procura falhas em seus escritos, então não se esqueça de procurar pessoas de diferentes perfis e peça a todos que PROCUREM ATIVAMENTE por erros, partes que soam estranhas, desconexas ou confusas, que desta forma a opinião deles será mais útil. Se você só passar para eles lerem, vai ouvir muito "gostei" ou "não gostei", mas poucas ideias práticas sobre o que há de errado com seu texto.
    []s e boa sorte / bom trabalho!

    @cobramiuda disse...

    Alexandre,
    fiz algo semelhante ao conselho dadi à Thiciane. Imprimi cópias no Word mesmo, encadernei, e entreguei a alguns parentes. Não escolhi aleatoriamente, entreguei a quem eu sabia que me daria uma opinião sincera. Pedi que marcassem trechos com erros de ortografia, palavras repetidas ou difíceis de compreender. Após algum tempo, reli o livro e encontrei alguns erro que "passaram batidos". Acho que revisei umas dez vezes.
    Agora o desafio é vendê-lo. É uma história regional, o que afunila muito os possíveis leitores. Na editora que procurei, o livro ficou muito caro. Decidi ver o custo de impressão em uma gráfica e vendê-lo por conta própria.
    Um abraço!

    Eric Carvalho
    www.cobramiuda.blogspot.com

    Alexandre Lobão disse...

    Oi Eric,
    Histórias regionais não necessariamente tem apelo apenas para os moradores locais. Veja por exemplo "A Máquina", da Adriana Falcão, que é carregada de regionalismos e virou até filme.
    A Lya Luft, em uma palestra aqui na minha cidade, falou que "há muito mais porcarias publicadas do que obras-primas nunca descobertas", então é por aí: é difícil, mas continue tentando, continue aperfeiçoando sua arte, que então será só questão de tempo (e paciência) para você chegar lá!

    Pr Ilson Miguel do Nascimento disse...

    Ola sou o Pr Ilson boa tarde! Sou um autor/escritor principiante meus escritos (4) livros são de cunho evangélico, a minha dúvida é se as grandes editoras como a Saraiva e as grandes editoras tem interesse em publicar livros desse cunho? , ja mandei imprimir um com uma grafica principiante mas estou vendendo por conta propria como faço pra conseguir entrar numa distribuidora grande para distribuir os mus livros?

    Alexandre Lobão disse...

    Caro Pr.Ilson,
    Geralmente as grandes editoras só se interessam por livros de cunho religioso quando são de interesse geral (não associados a uma religião específica, como por exemplo "A Cabana"); ou quando o autor é muito conhecido. Sugiro que você procure nos livros evangélicas os nomes das editoras que os publicaram, porque elas terão mais chance de querer também o seu.
    A editora já realiza a distrbuição, de acordo com seu tamanho (as menores distribuem apenas localmente); no caso de autopublicação a distribuição é realmente a maior das dificuldades.
    No seu caso específico, eu sugeriria tentar uma distribuição alternativa: através das próprias igrejas evangélicas. Converse com outros pastores ou bispos e verifique como conseguir fazer seu livro ser vendido nas igrejas, isso ajuda bastante porque o livro já vai chegar direto ao seu público alvo.
    Boa sorte e qualquer coisa estou à disposição.