6 de abril de 2016

Writing Prompts, uma ferramenta interessante para exercitar a criatividade e criar contos


ão costumo falar muito sobre ferramentas para criação de contos, até porque acredito que tudo que é "proibido" quando se escreve romances, como incoerências e pontas soltas, pode ser utilizado em contos, desde que faça sentido no contexto da história e que agrade, e não confunda, o leitor. Esta sim é a regra de ouro, pois se o leitor não gostar ou não entender, de nada vale todo o resto estar perfeitamente escrito.
De qualquer forma, como tenho recebido algumas questões sobre a produção de contos, achei que deveria, pelo menos, tentar trazer aqui alguma ferramenta interessante.
O conto, pela sua natureza de ser uma narrativa mínima de máximo impacto, é algo como uma piada: o importante é o desfecho, a solução do dilema que foi colocado no correr da história para capturar a atenção do leitor e que deve parecer, sempre que possível, tão inevitável quanto inesperado. Além disso, o "mínimo" indica que não se deve dar voltas; o conto pode ter muitas páginas, mas tudo o que aparece deve ser essencial para o desenrolar da narrativa.
Todo bom conto é uma narrativa mínima de impacto máximo. Nada falta, nada sobra.
Só por estas declarações já se percebe que o forte do conto, o que o torna valioso é a criatividade do escritor. De fato, sendo uma narrativa curta, no conto não há muito espaço para tramas mirabolantes e mistérios complexos a serem resolvidos, e nem há como desenvolver profundamente os personagens, o que faz com que algumas das ferramentas para criação de romances, que vimos aqui no Vida de Escritor, sejam pouco úteis.
Nesta linha, uma boa ferramenta para estimular a criatividade são os "writting prompts".  (Não consegui achar equivalente em português, sei que muitos escritores utilizam "prompts de escrita" e que o sentido seria algo como "pontos de partida imediatos para escrever", se alguém tiver uma boa sugestão por favor comente!)
Writing prompts são justamente inícios de histórias a serem desenvolvidas pelo escritor. Normalmente são uma frase ou uns poucos parágrafos curtos, às vezes acompanhados por um título.  Embora falando assim o conceito possa parecer meio estranho ou etéreo, ao se propor um exercício a sua utilidade fica clara. 
Então, vamos a isso:  Seguem alguns writings prompts, e seu "dever de casa" é escolher qualquer um, ou vários, e produzir um conto a partir dele. A atividade fica muito mais rica e divertida se você fizer isso com um grupo de amigos, e eventualmente adicionando um fator complicador como indicar um tempo máximo para a produção de histórias. O mais interessante é perceber como um prompt consegue gerar histórias as mais variadas!  Inclusive, convido-os a comentar este post com outras sugestões de prompts ou mesmo com as histórias (ou links para elas) produzidas a partir deles!
1. Estava tomando café da manhã quando bateram à porta. Estranhou, uma vez que nunca recebera visitas neste horário. Seria um vendedor? Não, os eventuais vendedores sempre se comunicavam pelo interfone do prédio, o que os poupava de andar de porta em porta. Ruminou as diferentes possibilidades até chegar à porta e perguntar:
- Quem é?
- Eu vim por causa do anúncio.
 
2. Saiu para correr pela manhã, como fazia todos os dias. Atravessou a rua e entrou no parque, iniciando seu trajeto que levava por uma ponte sobre o laguinho cheio patos, um bosque onde podia respirar livre, longe dos escapamentos da cidade, seguia por uma subida longa e terminava na descida que o levava de volta ao portão de entrada. Estava quase terminando o trajeto quando tropeçou no cadarço desamarrado de seu tênis e caiu para frente.
Teria no mínimo sofrido uns bons arranhões não fosse a ação rápida de um corredor que ele não vira, mas que provavelmente vinha na direção oposta, que o segurou e impediu a queda. Agradeceu a ajuda e, tentando não reparar na excêntrica roupa do corredor, continuou seu caminho.
Ainda distraído com o incidente, só levantou os olhos quando saiu pelo portão - e sentiu um arrepio incontrolável.

3. Há tanto tempo ela esperava por aquele momento, que nem parecia verdade. Foram meses de preparação, esquemas, tentativas e erros... Foram tantas as frustações que ela resistia a acreditar que finalmente iria realizar seu sonho.
Tudo o que faltava, agora, era aquele último detalhe. Se tudo fosse conforme ela esperava... Não, não se daria ao luxo de pensar assim! Tudo seria exatamente como ela esperava, e ela poderia finalmente proferir aquele discurso que tantas vezes treinara na frente do espelho.
Ouviu um ruído atrás de si e se virou, já sabendo o que veria. Ou pelo menos era o que ela achava. Contra todas as probabilidades,...

É divertido ou não é?

Aproveito o post para dois recados breves:
  • Os interessados em novas edições do Workshop de Escrita de Ficção em Brasília e em São Paulo, por favor entrem em contato comigo, pois estamos organizando novas edições ainda este semestre.
  • O livro "A Bíblia do Escritor", um verdadeiro curso com tudo o que compartilho aqui no Vida de Escritor, foi lançado dia 20 de março em São Paulo, em uma edição especial que só está disponível para compra na Livraria da Vila do Shopping Higienópolis. A segunda edição será lançada em Brasília em algumas semanas, e depois disso estará disponível no site da editora e em livrarias por todo o país.

E você, tem alguma dica sobre criação de contos? Comente e compartilhe com os colegas!

Gostou? este post!

8 comentários:

Ana Beatriz Cabral disse...


Muito interessante, Alexandre.
Há algum tempo atrás pensei em um livro de começos, intitulado ' Pequeno Livros de Grandes Começos' ou algo parecido, com o objetivo de ajudar quem tem dificuldade em iniciar textos criativos.
Depois abandonei a ideia, já que o meu problema não era iniciar e, sim, continuar...
Abraços,
Ana Beatriz

Alexandre Lobão disse...

Oi Ana Beatriz,

Sabia que gostei bastante de sua ideia? Se quiser levar adiante, com participação de outros escritores, eu gostaria de participar - podemos fazer uma chamada aqui pelo Vida de Escritor!
Há um livro parecido, mas mais... "frustrante" que esta sua ideia, o "Mil Histórias sem Fim", de Malba Tahan. Simplesmente são diversas histórias (creio que não chega a mil...) que, no ápice, são interrompidas. Só para leitores de coração forte! hehehe...


Ana Beatriz Cabral disse...


Sério? Gostou?

Então, vamos. Podemos fazer depois uma seleção dos textos desenvolvidos e publicar... nossa viajei!!

Estou à disposição para começar.

Ana Beatriz

Alexandre Lobão disse...

Oi Ana Beatriz,

Falei sério, a ideia é MUITO boa e há vários livros nas livrarias com propostas nesta linha, de não serem livros, mas sim estimuladores de criatividade!

Quero participar, só não posso ficar à frente do projeto, por absoluta falta de tempo. Elabore aí a ideia, escreva um texto apresentando que eu posto aqui no Vida de Escritor. Pense bem o que cada autor vai enviar, por exemplo: um texto com/sem título de até 500 caracteres, uma minibiografia de até 140 caracteres e uma declaração indicando que permite a eventual publicação em qualquer formato e que abre mão de pagamento de direitos autorais sobre tal publicação. Coloque também alguns exemplos. Depois que a coisa ficar pronta, podemos procurar editoras ou publicar como e-book, de qualquer forma será um exercício divertido e instrutivo!

Qualquer coisa você me acha no e-mail contato (arroba) alexandreLobao (ponto) com

O Vôo da Fênix disse...

Muito interessante mas o que mais me chamou a atenção foi a frase: “Todo bom conto é uma narrativa mínima de impacto máximo. Nada falta, nada sobra.” Isso me tocou...
Sou novata, gostaria que conhecesse meu trabalho e opinasse sobre ele, seria um grande prazer... www.ovoodafenix.com.br

Obrigada e um grande abraço.

Alexandre Lobão disse...

Oi F., desculpe a demora em responder; achei que tinha respondido à época e só agora eu percebi que não.
Visitei O Voo da Fênix e gostei muito do visual limpo e de bom gosto, imagens bens escolhidas, e principalmente dos textos cheios de sentimento, direto de sua alma.
Parabéns pelo belo trabalho, e continue porque você tem muito talento!
Só senti falta de um espaço para eu poder comentar o que achei no próprio blog, não sei se não está configurado para isso ou se foi algum bloqueio de meu firewall.

Daniel disse...

Muito bom, Alexandre! Às vezes eu gasto semanas para encontrar uma ideia que eu só quero escrever afim de cumprir uma meta pessoal, treinar. Com esses "prompts" sugeridos por outrem é realmente estimulante, quase um jogo =).

Desde de 2012 acompanho seus esclarecimentos e isso tem me ajudado muito a aspirar e continuar insistindo em ser escritor.
Abraços, parabéns!!!

Alexandre Lobão disse...

Valeu, Daniel, Obrigado! :)