8 de março de 2018

Sua meta é escrever um livro? Eis aqui o que falta para chegar lá!

M
esmo estando em um 'período sabático' aqui no blog, continuo acessível para responder perguntas e apoiar no que for possível através dos meus diversos  canais para contato.

Em um destes contatos, um amigo escritor me trouxe um problema tão comum entre escritores que achei que valeria a pena trazer para cá as orientações que escrevi para ele. O problema? Querer escrever um livro, ter isto até como “meta de início de ano”, mas os anos passarem e o livro não sair.
Então, o que se segue é parte da conversa que tivemos, sinta como se a conversa fosse com você! Primeiro, deixe-me reforçar alguns conceitos importantes:
1) Escrever um livro, quando se já tem experiência em escrita (mesmo que técnica ou jornalística), é mais uma questão de gestão de tempo do que qualquer outra coisa.
"Escrever um livro é, muitas vezes, mais uma questão de esforço do que de inspiração ou de conhecer técnicas de escrita"
2) As maiores dificuldades a serem superadas são, primeiro, conseguir um tempo para estabelecer a nova rotina, e em segundo lugar as dificuldades naturais para se estabelecer um novo hábito. Seja parar de fumar, começar a fazer exercícios ou escrever rotineiramente, um hábito só se estabelece após uns três meses (mais ou menos, é claro) de repetições à força.  Depois disso, seu subconsciente já 'interiorizou' o hábito, aí no dia que você falhar, você se sentirá culpado, sentirá que "falta algo", e compensará o mais rápido possível.

Então, com estes conceitos em mente, vamos a técnicas bem específicas que o ajudam a escrever um livro.

1) Defina um horário específico para escrever, algo que você realmente consiga seguir. O "modelo ideal" é escrever uma hora, todos os dias, sempre à mesma hora (por exemplo, acordando uma hora mais cedo e escrevendo por uma hora); mas se não for possível pode ser em horários variados, mas sempre os mesmos (não pode ser "quando eu tiver tempo"). Escreva três dias por semana no mínimo, porque se for menos que isso o livro demora demais a evoluir e aí continuar vira um problema de motivação.

2) Defina um local para escrever. Organize um cantinho para isso, onde você se sinta à vontade e não será interrompido, e de preferência um local onde você possa colar ideias rabiscadas (textos, gráficos, descrições de personagens etc) na parede e deixar lá enquanto não estiver escrevendo.

3) Para começar, um bom exercício é fazer um "alongamento mental": abra um caderno (de preferência, mas se tiver dificuldades pode ser um notebook) e escreva por cinco minutos sem parar. Se não acabar cansado, podem ser dez, mas normalmente cinco são suficientes. Nestes minutos, reforço, escreva SEM PARAR, se estiver sem ideias escreva "estou sem ideias sobre o que escrever" e continue a frase com outra coisa qualquer. O texto não precisa ter lógica nem mesmo estar associado ao livro que você vai escrever, e deve ser jogado fora logo depois. O objetivo é apenas desbloquear seu lado criativo, em modo de escrita automática.

4) Defina METAS. Por exemplo: esta semana vou terminar a premissa estruturada do livro, na próxima o detalhamento dos personagens, etc. Não precisa fazer as metas para o livro inteiro, mas é bom ter pelo menos as das próximas três semanas. E, é claro, trabalhe duro para conseguir atingir suas metas. Isso é importantíssimo para manter a motivação e gerar resultados rapidamente.

5) Você pode ter metas diárias, também. As metas podem ser de quantidade de palavras (um mínimo de 1000 palavras por dia, por exemplo, é uma meta fácil de atingir) ou de páginas.  Isto é mais fácil em alguns tipos de livros, então não se preocupe tanto com esta técnica, mas se conseguir fazer isso regularmente eu garanto que seus resultados melhorarão em qualidade rapidamente (a prática faz a perfeição).

6) Termine de escrever quando estiver com vontade de escrever mais. Não escreva um pouco mais para terminar o capítulo ou concluir a ideia que está na cabeça, deixe para concluir no dia seguinte - isso vai lhe ajudar a querer voltar o mais rápido possível ao livro.

Isso são técnicas para a rotina do trabalho. Quanto ao trabalho em si, o ideal é uma abordagem "top down", até para ajudar na definição das metas. Falei sobre isso na segunda parte da conversa com ele, que entra aqui no Vida de Escritor daqui a duas semanas.
Até lá, fiquem à vontade para perguntar sobre qualquer ponto que não ficou claro, ou completar com suas dicas!



E não esqueça que você encontra este e muitos outros assuntos em 'A Bíblia do Escritor, em versão impressa ou para ler em seu Kindle



Gostou? este post!

5 comentários:

Anônimo disse...

Muito bom, Lobão!! Já estou seguindo as dicas. Abraço do amigo, Pitella

Amanda Martins disse...

Caro Alexandre, há muitos anos guardo o sonho de escrever ficção histórica. Fiz pesquisas e mais pesquisas contextuais, mas foi por meio de seu blog que entrei em contato com o universo técnico da escrita, como a organização do enredo, resumos das cenas, estrutura, etc. Percebi que a ausência desse conhecimento vinha me travando. Obrigada por escrever! Continuarei acompanhando sempre!

Denise Beliato disse...

Vou começar a usar as dicas

Alexandre Lobão disse...

Valeu, Denise e Pitella.

Quaisquer dúvidas ou sugestões de mais dicas para outros escritores, já sabem: podem comentar!

cesar ferreira disse...

EXCELENTE post, obrigado pelo conteudo relevante e que me ajudou a crescer saude e sucesso!!!!