16 de dezembro de 2009

Dicas para começar a escrever - e continuar escrevendo!

Como última postagem do ano, vou publicar algumas questões levantadas pelo colega Rafael Morgan (http://www.rafaelmorgan.com/) e, a seguir, as minhas respostas. Acredito que serão úteis para diversas pessoas. Estou saindo de férias, em janeiro volto com novidades! Abraços e obrigado a todos os que me acompanham!
Sempre tive minha criatividade, que carrego comigo desde criança, focada nas artes plásticas e visuais, no entanto, nesses últimos dias, senti um desejo tremendo de escrever. Comecei a esboçar alguns parágrafos, os quais pensava que acabariam por fundir-se em um conto. Me enganei. A minha idéia central, ou como você mesmo disse, o cerne da trama, foi crescendo de forma incontrolável, até o ponto em que eu acordei, no meio da noite, com uma trama longa e complexa, com começo, meio e fim. Acredito ser uma ótima história que pode, eventualmente, se tornar um bom livro. O enredo é, de certa forma, um pouco auto-biográfico mas estou tentando me desapegar dessa idéia, tanto para conseguir criar um personagem mais livre, quanto para que o desenvolvimento do livro seja mais leve e não embrenhe muito em meus medos, anseios e conflitos pessoais. Bom, se me permite, gostaria de fazer algumas algumas perguntas, já que, pela própria existência do seu blog, acredito que se sente motivado a ajudar novos escritores. Sempre que escrevo um novo capítulo ( estou no terceiro, quase no quarto) volto nos capítulos anteriores e modifico algumas ( ou muitas) coisas, com o objetivo de criar uma obra mais concisa. Isso, de algum modo, é um processo um tanto quanto desgastante. Esse tipo de atitude é comum entre os escritores ou apenas reflete minha falta de experiência na área? De qualquer forma, como sou muito perfeccionista, tentarei "polir" essa obra ao máximo. Existe alguma técnica específica que possa ajudar a evitar esse tipo de vai e vem? Às vezes, também sinto que falta alguma cola, liga entre os parágrafos? Existem expressões ou técnicas que ajudem a criar uma fluidez maior e, consequentemente, um andamento mais suave? Se conhecer algum livro que possa me ajudar, que cubra algumas dessas técnicas e que possa me auxiliar tecnicamente na construção dessa trama, poderia me indicar?
1) É normal voltar e reescrever, não se preocupe. À medida em que a trama for evoluindo, provavelmente você vai ter menos modificações estruturais, ficando apenas ajustes, digamos, "cosméticos". É bom ser perfeccionista, ou pelo menos é o que eu acredito, até porque também sou assim. Só cuidado para que isso não o canse e acabe desanimando. 2) Quanto à técnica, não existe uma forma única de escrever, mas quando estou escrevendo um livro onde a trama é sofisticada, o que ajuda é escrever apenas um ou dois parágrafos por capítulo, com a idéia central do capítulo, organizando com isso o "esqueleto" da trama. Com isso, ao fim deste trabalho você terá uma visão bem melhor do livro, diminuindo a reescrita quando for escrever os capítulos. Obviamente, estes poucos parágrafos por capítulo serão jogados fora depois, mas isso ajuda o livro a ser mais coeso desde o princípio, e dá um certo ânimo porque "vemos a coisa evoluir", se é que você me entende. 3) Quanto à "liga entre os parágrafos", isso já é mais difícil. O ideal é fazer o chamado "close reading" em textos de outros autores. Leia o livro "Para ler como um escritor", de Francine Prose, que você vai ver diversas dicas de como fazer isso. 4) Quanto à estrutura da trama, sugiro ler o "Você já pensou em escrever um livro?", da Sônia Belloto. Ela fala bastante bem desta questão. E espero terminar, daqui até o fim do ano, o "Como Escrever um Romance pronto para o Sucesso" (título provisório), que vai abordar estas e outras questões. :)

5 comentários:

Em companhia do luar disse...

adorei as dicas que foi ditas, gostei muito mais das indicaçoes que vc deu para ler, encontrei um dos livros. de vez enquando leio seus textos sao de grande ajuda para mim.
parabens pelo blog.
um abraço

Hernani disse...

Grande Alexandre, feliz ano novo atrasado amigo! Gostei muito desta postagem de fim de ano, as dúvidas que tirou do nosso amigo, tambem serviram bastante para mim, álias meu romance está pronto(finalmente), mas acho que vou dar uma lida nos livros que recomendou e ver se tenho que fazer muitas alterações no meu, aproveitando, eu entrei em contato com uma editora, chamada schoba ja ouviu falar? Eles cobram R$ 1.100,00 reais pela publicação e parece ser interessante o metódo de vendas dele on demand. se puder dar uma olhada, http://www.editoraschoba.com.br caso tenha algumas outras em mente que puder passar, ficaria grato amigo! Grande abraço!

Alexandre Lobão disse...

Oi Hernani!
Gostei do site da Schoba, mas achei que o preço está bastante salgado, não?
Na Livro Rápido, por exemplo (http://www.livrorapido.com.br), você pode fazer uma tiragem (mínima) de 20 livros de 200 páginas por menos de 500 reais, e depois eles imprimem sob demanda conforme as encomendas chegarem no site ou você queira comprar. No site tem uma ferramenta para estimativa de orçamento, veja lá.
Outra "editora" semelhante é a Clube de Autores, onde, pelo que entendi, você não paga nada - só envia o livro, e recebe conforme as vendas são realizadas.
Eu não conheço nenhuma destas empresas, então não posso falar bem nem mal.
Acredito que, antes de partir para a auto-publicação, você deveria procurar alguma editora, há diversas editoras "de verdade" que possuem linhas voltadas para novos autores, algumas inclusive com pagamento de parte da edição pelo autor. A vantagem de uma editora "real" (em contraposição com uma virtual) é, principalmente, seu livro poder ser distribuído para as livrarias, mesmo que regionalmente - no caso destas editoras virtuais, seu livro só vai vender para quem você divulgar...
[]s e boa sorte, qq coisa entre em contato!

Cila disse...

Oi,Lobão?!
Sou escritora para o publico infanto-juvenil, do genero ficção.
Escrevo desde que que tinha dez anos e apesar de ter sido o meu sonho desde aquela época, a necessidade me fez escolher outra carreira... sou enfermeira.
Ano passado, resolvi tentar publicar dois dos meus livros por editoras pequenas e virtuais... uma delas é a Schoba, a outra é a Biblioteca 24x7.
Apesar de terem sido lançados no fim de 2009 estou impaciente... e realmente, só consegui vender mediante o meu interessse, pois em relação as duas editoras... só quem comprou foi minha sublinha.
Não sei se agi certo ao fazer por elas, mas através de erros nós aprendemos... Não é mesmo?! Ou eu estou sendo impaciente demais?
Quanto aos livros recebi várias ofertas de editoras maiores, só que como não tinha o dinheiro para bancar, resolvi pelas menores... e então, este ano vi o site dos Clube dos Autores.
Fico com receio, pois algumas pedem muito, outras pouco e algumas nada...
Como é que a gente fica?!
Se você quiser dar uma avaliada nos livros, vou mandar os nomes:
Um Mistério na Serra do Mar - pela Editora Schoba.
Rino, o guerreiro alado. - pela Editora 24x7.
Espero que possa me ajudar com alguma idéia, pois estou para recusar uma publicação da Freitas Bastos (publicação apenas virtual) e pular para o Clube do autor... com um livro de tema provocante, pesado... pedofilia.
As duas editora aceitaram a publicação...
Bem! Foi bom encontrar o seu blog...
Espero que tenha tido umas boas férias.

Alexandre Lobão disse...

Oi Cila!
O início da carreira é complicado, mesmo!
Quando lancei meu primeiro livro solo, em 2000, a editora enviou 1500 convites impressos, saiu o anúncio do lançamento nos dois maiores jornais de Brasília e dei entrevista em duas rádios a respeito... No fim, só apareceram 42 pessoas, e todas amigos meus que eu convidara diretamente! 10 anos depois, com muito menos divulgação, "O Nome da Águia" juntou 120 pessoas no lançamento (o que não é muito ainda, mas é bem melhor que a primeira experiência).
A questão é: Começar devagar é normal, mais que normal. Você precisa persistir, e digo mais, não só persistir em escrever, mas também persistir em divulgar seu trabalho. Sem divulgação, o livro não vende mesmo! No caso de livros infantis, você pode divulgar em escolas, dar palestras para professores, pais ou crianças, etc.
Quanto à escolha das editoras, eu particularmente desconfio de quem não pede nada, exceto seu dinheiro. Comprei um livro do "Clube de Autores" e me arrependi amargamente - como eles publicam qualquer coisa, tem muita coisa ruim.
Prefira editoras que não cobrem nada para publicar, pois se a editora está pagando a sua edição, é porque ela acredita em seu trabalho - além de você economizar dinheiro, a editora irá fazer mais força para divulgar seu trabalho.
Boa sorte!