1 de setembro de 2010

É seguro publicar partes de seu livro em um blog?


inda na onda de responder a perguntas trazidas por quem acompanha o blog, vamos a uma questão da Paty Noronha, escritora, que chegou a mim pelo FaceBook.
A Paty levantou uma dúvida muito comum entre escritores iniciantes ou que não tem muita vivência com a web: Posso publicar trechos de meus livros em um blog?  Devo fazer isso?
Quanto ao "posso", vamos a um fato "contratual": tenho alguns contratos de editoras do Brasil e Estados Unidos que estabelecem que o autor não pode divulgar mais de 10% do livro como propaganda (ou seja, em blogs, por exemplo). Nestes casos, se por acaso eu tivesse um blog com mais de 10% do livro a ser publicado, a editora não assinaria o contrato comigo.  Portanto: Se você tem um contrato, revise-o ou consulte sua editora. Se não tem, tome cuidado para não inviabilizar um eventual futuro contrato."O verdadeiro risco é não fazer nada" Denis E. Waitley, escritor, homem de negócios e realista inveterado.
Quanto ao "devo", a história é outra...

Apenas como exemplo, conheço pelo menos dois escritores que foram convidado a publicarem seus livros por conta de seu sucesso na internet. Portanto, de cara, o blog é uma propaganda do seu trabalho. Além disso, o blog é um treino para você e uma possibilidade de verificar a receptividade dos possíveis leitores. Publicar na internet oferece, portanto, oportunidades para divulgar seu nome, seu trabalho, treinar sua habilidade de escrever, ter feedback sobre seu trabalho sem pagar por isso... em poucas palavras: é tudo de bom!  :)
Como conciliar estas duas realidades?
Algumas ideias:
  • Divida seu trabalho em textos escritos para publicação e textos para internet. Eu mesmo estou negociando a publicação de um livro (título provisório: "Tudo o que você queria saber sobre como ESCREVER um ROMANCE pronto para o SUCESSO e não tinha para quem perguntar") com o mesmo tema deste blog, mas com textos diferentes, mais profundos e organizados.
  • Escreva um blog "complementar" ao livro. Publique no blog spin-offs, ou seja, histórias baseadas no mesmo universo do livro, que complementam a história do livro, sem alterá-la e sem serem essenciais para seu entendimento.  Um exemplo é escrever histórias curtas onde os protagonistas são personagens secundários de seu livro.
  • Escreva sobre assuntos relacionados. Por exemplo, ao invés de escrever um blog com histórias associadas às de seus livros, escreva um blog sobre o processo de escrever aquelas histórias, ou algo do gênero.
Em resumo: na dúvida, fique na área segura. Não publique muito de seu livro para evitar o risco de isso desestimular um eventual contrato de publicação, mas publique o suficiente, sempre, para se fazer conhecido.
Boa sorte, e que nosso suor gere frutos!
Gostou?  este post!

10 comentários:

Snake disse...

Sabe, isso deixa o autor entre a cruz e a espada. Não gosto dessa tirania imposta pelas editoras. O esperançoso autor escreve seu livro, fica na ânsia de publicar (entende-se levar ao público) e ainda tem que esperar (Deus ou o Diabo sabe quando) que alguma editora se interesse por seu trabalho, com isso o tempo passa (e muito, e rápido), a tal proposta nunca chega e o tal livro nunca vai a público.
Eu sempre escrevi para a internet. Tudo bem que antes eram apenas fanfics, mas com muitos elementos criados por mim, aproveitando um universo já existente. Depois que me cansei das fics, resolvi passar pros originais, resgatando antigos projetos engavetados. Conforme ia escrevendo os capítulos, ia postando no Fiction Press. Até tinha leitores assíduos. Mas, aí, um belo dia, algum leitor gostou tanto da história, que resolveu se apropriar dela, postando no Nyah! como sendo dele. Então tirei o romance do site e agora labuto para finaliza-lo (pois não há mais a empolgação de antes desse "incidente") e fico na dúvida, se o mantenho guardado, esperando que a editora que irei envia-lo se interesse, ou se ponho novamente a público, através da internet.
Eu gostava muito desses sistema, tanto que escrevia graças aos feedbacks das leitoras (algumas vezes até fazia a vontade delas). É uma forma gostosa de se escrever, interagindo com aqueles para quem vc escreve. Infelizmente, esse mundo é perverso, onde há aqueles que nos roubam na cara dura e aqueles que nos tiranizam por conta de uns trocados.

O seu blog é show de bola e estou sempre por aqui, embora nem sempre me manifeste :)

Abraços!

Luciana Marques disse...

Nesse novo mundo onde começa a imperar o twitter, me assusta o termo 'seguidores', sei lá, às vezes parece quase perseguidores... rsrsrs. Mas preciso confessar que eu, um pontinho entre muitos outros, não consigo deixar de visitar seus textos. Neste novo post, mais um conselho guardado para o futuro... Às vezes me parece que aprendo mais por aqui do que aprendi em minha vida acadêmica...
Mais uma vez, parabéns pelo post, e obrigada pelos conselhos tão úteis e factíveis.
Abraços...
Luciana

... disse...

Adorei o post, esse e um assunto que muito me interessa tbm, parabens!

Helaina Carvalho disse...

Eu sempre tive essa dúvida... Gosto de ver as opiniões das pessoas sobre minhas histórias... mas por outro lado tb sempre tive muito medo que as histórias fossem roubadas... no entanto acho que a data do post pode ajudar nesse caso, mesmo que não resolva por completo. Realmente tem mta gnt mal intencionada na internet.

Agora sobre uma posterior publicação sempre segui (mesmo sem saber previamente) a sua primeira dica. Tenho histórias pra internet e textos pra publicação. Dessa forma não corro o risco de ter uma idéias rejeitada por esse motivo!

O seu blog realmente é muito bom!!
Voltarei sempre que puder!!
Tem ótimas dicas!!

Alexandre Lobão disse...

Queridos Rebis, Luciana, Helaina!

Obrigado pelos comentários!
Uma coisa que não lembro se falei no post: uma parte impagável de escrever para internet é ter feedbacks como os de vocês, que fazem a gente acreditar que vale à pena continuar escrevendo, porque descobrimos que tem muita gente muito interessante no mundo!
Forte Abraço!

Wald Ferreira disse...

Olá Lobão e seguidores.
Sou seu mais novo curtidor. Tenho um projeto sendo desenvolvido para o próximo ano dentro desta mesma ideia e suas dicas e as de todos serão muito bem vindas. Uma curiosidade. Vc poderia dentro do mesmo blog, ter desmascardo e envergonhado aquele mau caráter.vc o fez? Não tê-lo feito, será ter somado a que ele continue a fazer isso. Abração. Ah,meu projeto a quem interessar: http://Ilustraehqs-waldarts.blogspot.com/

Vania Lúcia Rebelo disse...

Alexandre,

realmente suas dicas são muito úteis para quem pretende se aventurar nesse universo.
Tenho um blog, meu espaço de exercício de escrita e de feedback.
www.todemalapronta.blogspot.com

Um abraço,

Alexandre Lobão disse...

Oi Wald!
Pela minha experiência, o que os "maus-caráteres" da internet querem é justamente aparecer. Quanto mais nós falamos mal ou os "expomos" à vergonha, melhor se sentem, e respondem de maneira ainda mais ferina, gostando de ver o circo pegar fogo. A melhor tática é sempre ignorá-los, assim eles desistem e somem. Ou juntar elementos e abrir um processo na justiça. O meio termo só alimenta seu comportamento!

Fernanda Gonçalves disse...

Concordo com você, Alexandre.Em alguns momentos, ignorar funciona muito melhor. Não tinha pensado em publicar parte da minha história no blog. Obrigada pela dica.

Ah! E parabéns pelo blog cheio de dicas importantíssimas. Seguindo já.
Abraços =)

Anônimo disse...

Olá trata-se a 3ª vez que vi o teu blog e reflecti tanto!Bom Projecto!
Cumps