15 de julho de 2011

Conversa de escritor - falando sobre estrutura

ucas Vitoriano, que acompanha este blog, pediu que eu falasse um pouco sobre esta dificuldade que (todos) temos de deixar a "coisa fluir", este excesso de autocrítica que acaba travando o escritor e não deixando ele ir em frente...
Depois volto ao assunto com mais profundidade - estou saindo de férias por umas semanas - mas adianto um ponto essencial para a motivação de qualquer escritor: a conversa com outros escritores!
Não há nada mais motivador, divertido, criativo e animado do que conversar com outros escritores.  Procure fazer amizades em sua cidade, ou virtualmente, e toda vez que estiver com qualquer dúvida, converse com outro escritor. 
Porque escrever é, sim, um trabalho.  Mas em se acreditando nas palavras de Confúcio, se encontrarmos um trabalho que amamos, nunca mais trabalharemos. Portanto, encontre outros trabalhadores, e conversem sobre suas criações, sobre como cada um combate o bom combate. É inacredítável a energia que nasce destas conversas.

 Hoje, vou fazer um post diferente, quase um copiar-colar de uma conversa que tive com uma colega no MSN, quando conversamos sobre estrutura de texto e acabamos tocando em pontos que devem interessar a diversos iniciantes.
Com vocês, a conversa com a 'escritora anônima':

I say:
Você já tem a estrutura do livro definida?
escritora says:
estrutura?
não...
acho que não...
pode me explicar melhor?
I say:
A estrutura é, basicamente, o "esqueleto" de sua história.
escritora says:
sim...
prossiga...
I say:
você pode detalhá-la mais ou menos, mas é importante para saber o rumo da história
Não é um TRILHO, que prende o trem, mas uma TRILHA, que guia o viajante
(nossa, isso ficou bonito, vou copiar pro twitter!)
Por exemplo: ao invés de escrever o livro inteiro para ir "vendo onde dá", você escreve pedacinhos
Assim, você pode escrever, digamos, duas ou três linhas para cada parte ("cena" de sua história: como um risco apareceu, o que os personagens fazem, como o resolvem....
Aí, ao invés de escrever, digamos, vinte páginas para um problema, você escreve meia página, só com as ideias sobre o que vai acontecer
Aí, continue fazendo isso até terminar o livro
depois,
volte e escreva de verdade, seguindo as ideias que vc registrou
É claro q, ao escrever, as ideias vão mudando, mas a estrutura vai te guiando na direção certa, e evita que vc coloque coisas demais e depois "se perca", não consiga chegar ao fim
escritora says:
uHum
interessante....
bom, eu tenho mais ou menos a idéia final da estoria, sabe....
mas sempre vem coisas novas que eu quero colocar no meio
antes do fim
coisas interessantes
um risco, uma aventura
I say:
Isso é arriscado, cuidado
escritora says:
é??
I say:
calma, não vá criar rugas antes da hora!
O risco é o não "ir a nenhum lugar", não evoluir direito, e perder o foco e, portanto, o leitor.
Escrevendo rapidamente as ideias, vc diminui este risco.
escritora says:
pensei em fazer isso...
mas fiquei com medo de esquecer muita coisa...
I say:
Relaxa, se for bom, você não esquece. Pode esquecer uma frase, mas ela fica em seu subconsciente, e depois ela renasce bem melhorada.
É assim que nossa cabeça funciona, em especial cabeças de escritores...
Além disso, aí já é algo mais "avançado", a estrutura deve seguir um rumo como um todo. O ideal é, antes de sair escrevendo as ideias, como falei, você definir as "grandes cenas" de seu livro; o que acontece em 10%, 15%, 50%, 75%, 90% e 100%
escritora says:
Hum
I say:
Por exemplo:
até 10%: você apresenta todos os protagonistas e antagonistas (os principais personagens) e mostra o status quo deles
Em 10% aparece um problema, o chamado à aventura. Até 25% os personagens relutam em avançar, ou se preparam mas ainda não partiram, não entraram "de verdade" no "mundo mágico"
Aos 25% eles entram no "mundo especial": não há mais como retornar a partir daqui
dos 25% aos 50%, aparecem cada vez mais problemas.
aos 50%, o problema é tão grande que parece ser impossível de piorar, os desafios parecem insuperáveis.
escritora says:
muito bom isso
I say:
Mas piora até os 75%, com o auge da batalha, quando o protagonista enfrenta o poder máximo do antagonista
dos 75% aos 90% é o combate final, onde tudo se decidirá. E aos 90%, se decide.
dos 90% aos 100% é a "depuração", o retorno dos personagens ao mundo normal, embora modificados por tudo que aprenderam e coletaram no mundo especial

Esta é a estrutura básica de praticamente qualquer obra de aventura. Se você conseguir achar por aí, compre o livro "A jornada do escritor", um livro excepcional sobre estrutura.
Obviamente, vc não precisa ir tão a fundo; mas pelo menos escreva o que acontece em cada ponto principal, rapidamente, até o fim. Depois, escreva as ideias conforme elas irão acontecendo, até o fim. Depois escreva "de verdade". Isso é legal porque vc consegue ver como o livro vai ficar rapidamente, isto dá ânimo e orienta o trabalho
E, se no correr do trabalho, a história for tomando outros rumos, tudo bem... como falei, siga a trilha, não o trilho. Só tome cuidado para não variar demais, porque senão perde o foco e a história pode ficar cansativa.
escritora says:
OBRIGADA MESMOOO
I say:
Nada a agradecer, gosto de ajudar. Afinal, tomei coragem de terminar meu primeiro livro por incentivo de Ronaldo Cagiano, um escritor amigo meu, e agora só estou "passando pra frente" esta corrente do bem
escritora says:
ah, que coisa boa!
Deus queira que um dia eu seja como você, uma escritora experiente passando pra frente meus conhecimentos literários e editoriais
I say:
Como falei, depende só de você não desistir. Continue tentando, que vc chega lá. Aparentemente, talento para escrever não lhe falta!
escritora says:
nossa, ganhei o dia!!!!

Novamente, segue o convitepara passar um agradável fim de semana em Brasília, conversando e aprendendo com outros escritores no Workshop de Escrita de Ficção, promovido por mim e pelo experiente oficineiro Oswaldo Pullen.  As inscrições já estão abertas, visite o site Escrita Criativa e garanta sua vaga!  

Gostou?  este post!

11 comentários:

Anônimo disse...

Olá!
Nossa, é uma honra fazer parte do seu blog, como comentarista, e ainda mais como parte de um post.
Agradeço novamente pelas dicas, palavras de incentivo, e pelo blog, que auxilia tantos de nós, iniciantes nessa luta que é escrever.
Boas férias, como já desejei, e volte com muitas idéias e inspirações.
Abraços!

Anônimo disse...

Seria otimo conhecer outros escritores p trocar ideias e aprender juntos. Portanto, os q quiserem, me adicionem : correajean@hotmail.com Espero contatos!

Jean Corrêa disse...

Concordando com o Alexandre Lobão, quero deixar meu MSN para que outros escritores e eu possamos conversar, trocar ideias e, juntos, aprender mais de nossa arte/ofício.

correajean@hotmail.com

Abraços

Lucas Vitoriano disse...

Muito obrigado mesmo Alexandre, quando eu fiz o comentario pedindo ajuda quanto a minha dificuldade em fazer "a coisa fluir" imaginei que teria como resposta outro comentario logo abaixo do meu e não uma postagem dedicada unicamente ao assunto.

Li a postagem e ela me ajudou bastante, na verdade foi revigorante pois eu estava bastamte chateado, meu notebook foi para o concerto e nele estava tudo que eu ja havia escrito sobre a estoria que desejo publicar, alem do texto haviam anotações sobre estoria e personagens e tambem anrigas estorias que eu ja havia escrito e que no momento estavam paradas. O fato tragico é que todos estes arquivos estavam em um "ambiente de rede" um local no computador aonde eu podia acessar os arquivos de qualquer computador da minha casa, o grande problema foi que o tecnico que concertou o notebook não fez o backup dessa pasta (um erro meu na verdade ja que era um local especifico, eu deveria ter avisado) e eu perdi todos os arquivos.

O que queria dizer apos contar esse curto episodio é que, depois de passado o sentimento misto de atque de raiva e crise de depressão, eu percebi que não havia tanto a se lamentar assim, afinal o essencial estava na minha cabeça e por isso intacto, vi que poderia reescrever tudo de uma forma melhor, graças as informações que consegui nessa posragem. Claro que muita coisa boa foi perdida mas não adianta ficar se lamentando, hoje mesmo irei comprar o livro "A jornada do escritor" e retornarei a colocar a mão na massa para escrever minha estoria.

José Carlos disse...

Esta postagem foi espetacular! Eu já visitei este blog várias vezes, mas nunca fiz nenhum comentário. Desta vez, me sinto obrigado a dizer que tenho aprendido muito com todas as postagens anteriores, e, em especial, esta que ajudou a clarear alguns pontos escuros sobre como utilizar a jornada do herói de forma prática. Parabéns!!!

Alexandre Lobão disse...

Obrigado pela incentivo, José Carlos.

Querendo ouvir sobre algum tema específico, basta postar um comentário!

[]s

José Carlos disse...

Eu gostaria muito de saber como fazer descrições de personagens de forma original. Eu tenho muita dificuldade quando tenho que descrever personagens.
Um abraço,
J. Carlos

Alexandre Lobão disse...

Oi José Carlos!
Combinado! Estou com um ou outro assunto pendente para novos posts, para atender a pedidos como o seu, mas em breve falo sobre o assunto - que, como você deve imaginar, não tem uma resposta fácil! :)

Anônimo disse...

estou escrevendo um livro,será que você poderia dar dicas para meu livro melhorar,é meu primeiro livro.

Alexandre Lobão disse...

Oi "Anônimo",
(Uma ideia para todos: ao postar um comentário anônimo, coloquem um nome ao fim do comentário, só para facilitar...)

De vez em quando recebo textos de leitores do blog e respondo com meus comentários. Obviamente, não leio muito, umas 10 ou 20 páginas no máximo, mas é suficiente para dar algumas dicas.

Correndo o risco de aumentar minha taxa de spam, segue meu e-mail caso você queira enviar algo para eu ler: aslobao@hotmail.com

ATENÇÃO: Enviem seus textos já sabendo que meus comentários sobre eles podem vir a ser publicados aqui no blog, eventualmente com algum (pequeno) trecho do texto, mas sem dizer a origem para não comprometer o anonimato do escritor.

Alexandre Lobão disse...

José Carlos, vou colocar o assunto dos personagens em pauta assim que possível, obrigado pelo interesse!