13 de dezembro de 2011

Quer escrever um livro? Defina suas metas!


im de ano no "Vida de Escritor!"
Estou saindo de férias e retorno em janeiro... talvez, só talvez, eu tenha um tempo para postar mais alguma coisa de hoje até minha volta, mas caso não seja possível já adianto meus comentários de fim de ano.
Como comecei o ano falando de metas e motivação, termino o ano falando de conquistas - e motivação.
Com a esperança de que isso sirva também para muitos de vocês, vou descrever meu processo de metas de fim de ano e o que tenho aprendido com ele no correr dos anos.
Bem, tenho guardados os mapas mentais (aprenda um pouco mais sobre eles neste antigo post sobre criação de personagens) com minhas metas dos últimos cinco anos, e é possível perceber algumas coisas.
Primeiro, que a cada ano meus mapas são menores, ou seja, tenho menos metas para atingir.  Isso não significa que estou trabalhando menos ou sendo menos ousado no planejamento, mas apenas que estou estabelecendo como metas apenas aquelas coisas que realmente pretendo atingir durante o ano.  Desta forma, no fim do ano tenho mais metas atingidas, e isso contribui bastante para que eu continue animado na busca de meus ideais. 
Evite metas grandiosas ou impossíveis, pense grande, mas mantenha os pés no chão!
"Nenhuma batalha é vencida de acordo com um plano, mas nenhuma batalha é vencida sem um"
Dwight D. Eisenhower, presidente americano responsável pela coordenação das forças aliadas na 2a Grande Guerra
Outra coisa que tenho realizado é dividir minhas "metas" em três grupos:
  • Metas do ano: aquelas que escrevo no início do ano e que dependem de um esforço contínuo para serem concluídas no ano, por exemplo, escrever um livro cuja premissa e ideias gerais já estão bem definidas.
  • Metas de curto prazo: são aquelas em que estou trabalhando ou pretendo começar a trabalhar imediatamente, e que dependem de pouco esforço para serem executadas.  Estas metas não são anuais, mas aparecem conforme a evolução do ano.  Por exemplo, apresentar uma palestra em uma escola ou escrever um post conforme a sugestão de algum leitor.
  • Metas de médio prazo: nesta categoria incluo as metas que também aparecem durante o correr do ano, mas que dependem de um esforço um pouco maior para serem executadas, como por exemplo realizar a leitura crítica de um original, organizar um workshop para escritores ou preparar um projeto para um programa de apoio à cultura.
  • Metas futuras: Este grupo é o "curinga" que ajuda a liberar todos os demais grupos e mantê-los em um tamanho gerenciável, em especial o grupo de "metas do ano".  Aqui estas as metas que são apenas ideias ou desejos, que pretendo realizar "algum dia", mas que não tenho tempo ou recursos para trabalhar no momento.  Por exemplo, escrever um livro sobre determinado tema ou em determinado gênero ou realizar um MFA (Master on Fine Arts) remoto, na área de produção literária, em uma universidade americana.
    Um elemento essencial de qualquer plano de metas é que ele deve ser "vivo".  Não adianta escrever suas metas e depois esquecê-las em uma gaveta, ou deixar de atualizá-las à medida em que a vida muda nossas prioridades (e vocês sabem que ela tem esta péssima mania...).  Da minha parte, e segue como sugestão, o mapa mental do "planejamento anual" fica exposto em frente à minha mesa de trabalho, e é atualizado sempre que aparecem novas metas, e os demais planejamentos residem em uma organização de pastas em meu programa de e-mail, consultadas frequentemente.
    Para qualquer escritor que deseje trabalhar profissionalmente, estes planejamentos são essenciais, além de obviamente mutáveis. Mas uma coisa que ainda luto para aceitar é que esta mutação constante impede que todas as metas iniciais sejam efetivamente atingidas.  Obviamente, se você incluiu coisas a mais em seu planejamento, não será possível realizar algumas outras coisas...  Mas da razão até o coração a distância é grande, e fico sempre com aquele sentimento de que "poderia ter feito mais".  Comentários com sugestões sobre como lidar com isso serão bem vindos!
    Para fechar o post (e talvez o ano), gostaria de dizer que continuo anotando os pedidos nos comentários para falar sobre determinado assunto, e que todos são respondidos na medida do possível (José Carlos: enquanto não falo mais sobre personagens, reveja o este mesmo antigo post...).  Então continuem comentando! :)
  • E quanto às metas que atingi este ano... Bem, verifiquem em meu site, http://www.alexandrelobao.com/, os livros e quadrinhos publicados, e os jogos de computador produzidos. Ainda estou com um romance e alguns livros infantis à procura de editoras, mas esta é uma meta que, com certeza, atingirei no ano que vem.
    Um lindo Natal, cheio de paz, perdão e felicidade junto à família, e um Ano Novo cheio de realizações, com tranquilidade para definirmos metas atingíveis, e força e persistência para lutarmos até atingi-las, para todos nós!

    Gostou?  este post!

    4 comentários:

    Carlos Rocha disse...

    Legais as dicas. Uso um sistema similar. Tem funcionado bem.

    Alexandre Lobão disse...

    Valeu, Carlos.
    É importante também agendar um tempo quinzenal ou mensal para rever as listas de metas, de forma a manter o pique e não perder o foco.

    Ismael P. Portilho disse...

    Olá, Alexandre, gosto muito do seu blog e tenho muita curiosidade em fazer um dos workshops.

    Gostaria de perguntar: você conhece um ótimo, muito bom mesmo, dicionário de Sinônimos? Que seja eletrônico.

    Eu uso DicSin e é muito bom, mas não supre tudo.

    Tenho percebido sua dica sobre praticar: é realmente o maior educativo. Percebi que meu maior problema no momento está sendo uma extrema limitação no vocabulário. As palavras me fogem por memória fraca e fico realmente emperrado na escrita. :/

    Alexandre Lobão disse...

    Oi Ismael,
    Desculpe a demora na resposta!
    E, pior: não, não conheço nenhum dicionário de sinônimos "bom mesmo". Sou meio leigo quanto a este tipo de ferramentas, o que o thesaurus do Word me oferece já me atende, em 97,13% dos casos, então nunca procurei algo diferente.
    Fica a dúvida: para que exatamente você usa o dicionário de sinônimos? Apenas para evitar repetições de determinadas palavras no correr do texto, ou tem algo mais?
    []s!