27 de setembro de 2012

10 erros comuns ao entrar em contato com um agente literário

If you can't read Portuguese, check out Rachelle Gardner's original post at http://www.rachellegardner.com/2012/07/query-mistakes/.

N
este post, trazemos a vocês alguns comentários de Rachelle Gardner, agente literária que atua nos Estados Unidos, dando algumas dicas sobre erros que escritores comumente cometem ao entrar em contato com um agente literário, e que podem ser resolvidos com um pouquinho de atenção.
Embora estas dicas sejam voltadas para aquele mercado, elas são igualmente valiosas no mercado brasileiro, tanto na procura de agentes literários quanto na procura de editoras.
O artigo original pode ser consultado em http://www.rachellegardner.com/2012/07/query-mistakes/, e foi traduzido com a autorização da autora.

Conforme avanço pela inundação diária de propostas de livros, é comum eu perceber quantas vezes vejo os mesmos erros, repetidamente. A maior parte deles não são grandes erros, mas quando um agente literário os vê repetidamente, eles se tornam mais perceptíveis. Então eu acabei montando uma lista dos problemas mais comuns nestas propostas.
Nenhum destes erros é fatal por si só. Não há nada nesta lista que me faz automaticamente rejeitar alguém. (Outros agentes podem ter outras abordagens.)
Mas cada erro tem o potencial de fazer você soar um pouquinho menos profissional, um pouquinho menos experiente, um pouquinho menos sério. Eles podem fazer parecer que você não presta atenção aos detalhes. De maneira geral, vale a pena você cometer o mínimo de erros possível.

Por favor preste atenção: Não estou falando sobre qualidade ou capacidade de vendas de seu livro aqui. A melhor forma de você criar uma proposta de sucesso é escrever um livro incrível, e mostrar isso em sua proposta. Suas rejeições mais provavelmente NÃO serão resultado de erros que estão nesta lista, mas sim serão baseadas na inadequação de seu livro para aquele agente específico (por razões variadas). Neste post, estou falando apenas sobre a mecânica da proposta editorial (query letter) em si.








1. Não me fazer sentir especial.
Múltiplos agentes listados no campo “Para” do email
2. Não saber ou se importar sobre quem eu sou.
Sua proposta está endereçada “A quem puder interessar” ou “Caro agente” ou para outro agente, ou sem nenhuma saudações ou apresentação inicial.
3. Fazer-me responder “não” depois de uma frase.
Sua proposta começa com uma questão retórica. O problema com isso é que usualmente minha resposta é “não”, então você já me perdeu aí. Especialmente as questões do tipo: “Você já imaginou... ?”
4. Colocar o carro na frente dos bois.
Sua proposta começa com “Este é o primeiro de minha série planejada para 9 livros”. Não faça isso! Apresente UM LIVRO primeiro. Próximo ao fim da proposta, você pode incluir uma breve sentence com algo como: “Se este livro fizer sucesso, ele poderia facilmente se tornar uma série.” Outro erro do tipo andando-à-frente-de-si-mesmo é falar sobre o incrível filme ao qual seu livro poderá dar origem.
5. Forçar a verdade.
Falsa intimidade: fingir que você tem uma conexão comigo quando você não tem. Ou falsas referências: Dizer que alguém indicou você quando não foi o caso. Fico louca com quantas pessoas escrevem “Michael Hyatt recomendou você”, quando o que eles querem dizer na verdade é: “Eu encontrei uma lista de agentes literários no site de Michael Hyatt, e você estava na lista”.
6. Forçar a verdade, parte 2.
Dizer que você é um autor publicado sem dar detalhes ou mencionar que você é auto-publicado.
7. Intencionalmente quebrar todas as regras.
Você sabe que eu não represento livro de um certo gênero ou categoria, mas você envia a proposta da mesma forma.
8. Ficar preso em você mesmo.
Sua proposta é 90% sobre você, 10% sobre seu livro. Eu preciso saber sobre seu livro! Especialmente para ficção. Para não-ficção, uma vez que a plataforma e as qualificações também são importantes, sua consulta pode ser 60% sobre seu livro, 40% sobre sua plataforma.
9. Tornar óbvio que você não é um bom escritor.
Sua proposta está mal escrita, com erros de gramática e pontuação, escolha pobre de palavras, estrutura das frases fraca, sem uma voz única... Mostrando-me que você não é capaz de escrever.
10. Ignorar minhas orientações para submissão.
Eu peço para você incluir a palavra “Query” na linha de assunto, e que você inclua algumas páginas de exemplo de seu original, copiadas dentro do email. Eu também peço que você não inclua anexos ou espere que eu clique em links. Não é tão difícil assim.
Bônus - Erro adicional:
Depois de receber uma rejeição... você escreve de volta para pedir algum feedback. Desculpe. Se eu ofereci feedback sobre a rejeição inicial, você está com sorte. Se não, infelizmente é assim que as coisas funcionam.
E mais alguns, apenas por diversão:
Quantidade de palavras do original ridículas (muito grande ou muito pequena); evitar fazer qualquer menção ao gênero da obra, apresentações grandiosas (“Meu livro é o próximo Harry Potter”); dizer para mim porque você escreve e como você vem escrevendo praticamente desde o nascimento ao invés de me falar sobre o livro.

Que erros você cometeu ao enviar propostas? Como você descobriu que estava fazendo errado?
Comentem, Participem!

Sobre Rachelle Gardner
Minha paixão é fazer parceria com autores para levar à publicação livros que valem a pena. Iniciei meu blog (http://www.rachellegardner.com) em  como uma forma de criar uma comunidade de autores, tanto publicados quanto buscando a publicação. Eu escrevo sobre uma larga variedade de tópicos que interessam autores, e considero os comentários dos leitores mais importantes que meus próprios posts.

Você pode acompanhar Rachelle Gardner no twitter em @RachelleGardner

3 comentários:

Anônimo disse...

Muito bom o post!

Vejo as editoras, as poucas que aceitam originais nacionais, reclamarem MUITO no Twitter sobre pelo menos um desses tópicos n.n'

Valeu as dicas, n.n'

Wendy H.

fun disse...

Muito boas as dicas!!!

Alexandre Lobão disse...

É, Wendy e Fun, o mercado americano é bem mais especializado e profissionalizado que o nosso, mas boa parte destas dicas também vale para cá!
[]s