22 de fevereiro de 2010

Oficinas Literárias, Oficinas de Escrita Criativa, Oficinas de Criação de Texto, Oficinas...

O Brasil viu, nos últimos anos, o crescimento da oferta e do número de pessoas interessadas em participar de oficinas de escrita criativa.Para entender um pouco deste movimento, precisamos estudar as suas origens, no movimento similar que ocorreu nos Estados Unidos e que ganhou força na segunda metade do século passado. Estas oficinas, nos Estados Unidos, desembocaram na criação de diversos cursos universitários com aulas práticas de literatura, e se tomaram tal vulto que Mark McGurl, em “The Program Era”, chega a dizer que é impossível comprender a literatura norte-americana do pós-guerra sem conhecer os programas universitários de escrita criativa.Diversos autores nacionais foram beber desta fonte, como Affonso Romano de SantAnna, Raimundo Carrero e Charles Kiefer, que estudaram na universidade de Iowa e se tornaram destacados escritores e renomados divulgadores da arte da escrita. Raimundo Carrero conduz oficinas de escrita criativa de altíssima qualidade em Pernambuco, e reuniu as experiências de 15 anos de oficinas no livro “Os segredos da Ficção”, publicado em 2005 pela editora Agir. Charles Keifer apresenta oficinas semelhantes há vinte anos no Rio Grande do Sul, e além de uma vasta bibliografia traduziu para o português alguns livros sobre técnias de escrita, como “Como aprendi a escrever” de Máximo Gorki e “Assim se escreve um conto”, de Mempo Giardinelli, e outros. Affonso Romano de SantAnna, já nos anos 70, uniu-se a Silviano Santiago e realizou as primeiras oficinas dentro de universidades brasileiras (no caso, a PUC-RJ), lançando livros como “Por um novo conceito de literatura brasileira" e “O que aprendemos até agora”, relatando suas experiências nos cursos de letras. Depois destes pioneiros, muitos outros escritores abriram caminho e estabeleceram oficinas que já se tornaram referência de qualidade, em diversos estados. É o caso, por exemplo, de Marcelino Freire, que apresenta oficinas (sempre lotadas) na Casa das Rosas e no espaço Barco, em São Paulo; das quase cem oficinas realizadas para a Fábrica de Textos pela escritora Sônia Belloto (autora de “Você já pensou em escrever um livro”, com múltiplas edições); do “Laboratório do Escritor”, que acontece na Realejo Livros, em Santos; das oficinas oferecidas pela Casa do Saber; das oficinas de produção de texto de Luiz Antonio de Assis Brasil e Luís Augusto Fischer no Rio Grande do Sul; das oficinas de Oswaldo Pullen em Brasília (uma delas começando agora em março - inscrições abertas), e muitas outras. Os exemplos das oficinas são muitos – com certeza esqueci de mencionar diversas delas. No entanto, o objetivo destas oficinas é um só: mostrar que escrever não é (apenas) um dom e mais, mostrar que existem técnicas que ajudam a vencer o medo de escrever, organizar seu texto e produzir trabalhos de melhor qualidade. Além disso, a troca de experiências nestas oficinas ajuda a estimular tanto a imaginação quanto o lado crítico dos participantes, dando a eles instrumentos para melhor entender os trabalhos de outros escritores e, com isso, também aprimorarem os seus. Recomendo fortemente a todos os leitores realmente interessados em escrever um romance que participem de oficinas literárias, mais de uma, se possível. A cada oficina aprendemos mais um pouco, e aprendemos que o que faz um bom escritor é tudo que ele aprendeu, e mais, como ele sabe transpor isso para sua obra.

8 comentários:

fran_ufpr18 disse...

Olá Alexandre, entendo sua posição. Aí vai então, o post reformulado com mais inforamções.

FUNDAÇÃO CULTURAL DE CURITIBA

Oficinas de Análise e Criação Literária

Inscrições prorrogadas até 12 de março.

Informações: Secretaria de Cursos da Coordenação de Literatura (Praça Garibaldi, nº 7 - Palacete Wolf) Fone: (41) 3321-3317 e (41) 3321-3379

Para conhecer as oficinas oferecidas, professores ministrantes, lista de livros e locais de inscrição e realização, clique aqui

http://www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br/public/files/ups/apostila_oficinas.pdf


Ingresso:

Data(s): 30/01/2010 a 12/03/2010.
(a inscrição foi prorrogada).

Horários: ver programação.

Espaço cultural: Palacete Wolf

ilona disse...

Oi Alexandre,
estou aqui de novo para elegiar seu blog. Lembrar das oficinas literárias foi uma coisa muito legal. Eu gostaria que Aqui em Roraima tivessem eventos assim, que valessem apena você sair de casa para participar.
Mas hoje eu trouxe um questionamento meio filosófico para você. Uma colega me perguntou por que nós escritores jovens e inesperientes escrevemos se é tão difícil, alcançar nosso sonho de um dia publicar um livro. Eu sei por eu escrevo, mas é uma coisa particular. O que você acha? Quando o sonho começa?

Alexandre Lobão disse...

Oi Ilona!
Conversei a pouco tempo com o Maurício Melo, que apresenta o programa sobre literatura na na TV Senado, justamente sobre isso: Por que as pessoas começam a escrever, se é tão difícil?
Segundo ele (e eu concordo...) as pessoas começam a escrever por dois motivos.
Se começam a escrever porque querem "fama e fortuna", querem se inserir em uma profissão "glamourosa", muito provavelmente não farão trabalhos de qualidade, provavelmente seus escritos soarão ou excessivamente "comerciais" ou excessivamente eruditos.
O outro grupo é o que escreve porque PRECISA. Quando você se sente compelido a escrever, não há como fugir: A inspiração te pega pela gola, te joga na parede, joga uma pena na sua mão e grita: ESCREVA-ME! (a figura não é minha, é de Drummond ou de Sabino, se não me engano).
A melhor resposta, para mim, é sempre essa: escrevemos porque precisamos. Sem isso fica um vazio no peito, uma ânsia por algo indefinível que só é suprido quando estamos nos libertando nas entrelinhas do que escrevemos.
Apareça sempre!

Escriba Encapuzado disse...

Alexandre,

Encontrei seu site recentemente enquanto buscava dicas para escritores amadores.

Até o momento tenho gostado de seus artigos. Escrevi um artigo no meu blog recentemente sobre como desenvolver uma metodologia de escrita.

Que tal isso com um tema para o seu blog?

Continue com o bom trabalho.

Alexandre Lobão disse...

Caro Escriba Encapuzado! :)
Li teu blog e gostei bastante, apesar de estar começando, começaste bem!
Escriba, estou a terminar de revisar um livro que escrevi, que tem o título provisório de "Tudo o que você queria saber sobre como escrever um ROMANCE pronto para o SUCESSO mas não tinha para quem perguntar - dicas e truques para escrever um romance de leitura ágil e visões sobre como chegar ao sucesso, de diversos profissionais do mercado editorial brasileiro" (meio comprido, mas é isso mesmo...); e neste livro apresento a metodologia de trabalho de alguns autores de sucesso com detalhes, entre outras coisas interessantes.
Vou ver se consigo reproduzir em poucas linhas algumas das idéias do livro, em um futuro post.
Grato pela contribuição!

Fran disse...

Oi Alexandre, vim te visitar e aproveito para convidá-lo a também me visitar novamente, o meu blog ta cheio de novidades!
Abraços.

Beatriz Vieira disse...

Olá Alexandre,

Estava lendo essa postagem e achei bem interessante. Acredito que as pessoas vem buscando as oficinas de escritores porque necessitam desenvolver conhecimentos específicos sobre produção literária. Existe uma imensidão desses novos escritores que não sabe sobre gêneros literários, que não estuda a história da literatura e assim por diante.. Como em qualquer área de atuação, o aprimoramento vem primeiro!


Abraços
Bea

Teólogo disse...

olá,
vou tirar bastante proveito desse blog, gostei muito.
____________________________________
http://www.livroteologo.blogspot.com/