5 de abril de 2010

Entrevista na TV Senado - e resenha do livro Uhuru

Para quem não pôde assistir, minha entrevista para a TV Senado está disponível no sítio institucional do Senado, no link "downloads" de http://www.senado.gov.br/TV. Na entrevista, falo um pouco sobre criação literária e sobre o romance "O Nome da Águia". Segue a chamada para a entevista, transcrito do sítio do Senado.
O escritor Alexandre Lobão é um apaixonado pela leitura, ele ensina que “ler como um escritor” é também uma forma de aprender a escrever. Diz na entrevista ao Leituras, que “um bom romance nasce dentro do coração”, quando surge uma ideia que precisa inevitavelmente ser exposta, “jogada pra fora”. Neste programa, ele apresenta o romance “O nome da águia”, obra em que exercita o ato de escrever criando caminhos narrativos para prender a atenção do leitor.

Em paralelo, saiu no blog "O que elas estão lendo" uma resenha do "Uhuru", livro infanto-juvenil que lancei no segundo semestre do ano passado. Confiram estas e outras resenhas no blog "O que elas estão lendo", um lugar obrigatório para quem gosta de ler e estar em contato com outros leitores que têm o que dizer: http://elasestaolendo.blogspot.com/2010/04/uhuru.html

3 comentários:

ilona disse...

Oi,
Dei uma olhada na resenha de "Uhuru" no blog "O que elas estão lendo" e adorei.
Livro muito bem recomendado viu!
despertou minha curiosidade.

ilona disse...

Oi de novo Alexandre,
Vim te fazer uma pedido de postagem, se não for muito incômodo é claro.
Eu andei pesquizando na internet, a respeiro de jovens escritores e encontrei o site da Camara Brasileira de Jovens Escritores() e achei muito interesante o projeto, mas algumas coisa deram um nó na minha cabeça. Não entendi basicamente a estrutura do orçamento: O custo da publicação é parte do autor e parte da CBJE? Ou é meis complicado que isso?
Gostaria que você desse uma olhada e desse sua opinião sobre isso.

Alexandre Lobão disse...

Obrigado pelos comentários, Ilona.
Olhei o site da Câmara Brasileira de Jovens Escritores (você não mandou o link: http://www.camarabrasileira.com) e, a primeira vista, me pareceu uma iniciativa séria, especialmente porque eles não te obrigam a adquirir um número mínimo das antologias de que você participa. Assim, TEORICAMENTE, eles avaliam as obras, publicam por conta própria, registram na BN, e os autores participantes compram quantos exemplares quiserem do livro.
Na prática, eles podem ter a noção de que sempre venderão o suficiente para custear o livro e ganhar algum lucro...
O "ideal" é você participar de concursos que não cobrem nada, para ter certeza de que seu conto foi avaliado pela qualidade não pelo dinheiro que pode gerar; mas apesar de eu não conhecer a Câmara de Jovens Escritores parece ser algo confiável.
Digamos apenas que, se eu fosse jovem, eu enviaria meu conto para lá! :)
Forte Abraço!