12 de novembro de 2010

Coisas que você NÃO deve fazer para se profissionalizar como escritor


ecentemente participei de dois cursos de formação para escritores, um promovido pela Fábrica de Textos e outro por James McSill, o Write in Brasilia.
Como resultado, ficou a certeza ainda mais forte que qualquer profissional precisa conhecer as técnicas de seu trabalho.  Pegando um exemplo do James: Você confiaria em um "cirurgião amador" para fazer uma cirurgia? Agora, em uma situação complexa (por exemplo, em uma emergência em uma ilha deserta), provavelmente você confiaria em um cirurgião capacitado, mesmo que tudo o que ele tivesse em mãos fosse um canivete, linha e agulha. 
O que me surpreendeu mais fortemente, especialmente no curso do James, é que existem, sim, técnicas muito práticas e objetivas que ajudam um escritor a se profissionalizar, a manter seu padrão de qualidade em todos os textos, independente de inspiração ou musas.  
Dúvida? Faça o próximo curso com o James! Provavelmente, será o "Write in Pantanal", semelhante ao "Write in Brasilia" mas em terras mato-grossenses. Fique atento, quando o curso for oficialmente lançado eu o anunciarei por aqui.
Até lá...  Bem, fiz cerca de 40 páginas de anotações só do curso do James, mas muito do que ele ensina é "copyrighted" para ele, pelo que não posso simplesmente sair escrevendo tudo que aprendi.  Mas, ainda assim, há muito que eu posso falar, não só sobre minhas conclusões, mas também sobre algumas informações que são públicas.
"Nunca comece a escrever pelo primeiro capítulo. Só escreva a primeira linha quando tiver tudo planejado, quando souber como a história vai acabar"
Sonia Belloto, escritora e fundadora da Fábrica de Textos, que dá cursos de formação para escritores
Pensei em começar com alguns "Nãos", coisas que você não deve fazer caso queria profissionalizar-se como escritor.  Vamos a elas:

  • Não comece a escrever pelo primeiro capítulo! Você começa um livro pelo planejamento: Qual a premissa de sua história? É uma história sobre o que?  É uma história sobre quem, que enfrenta quais problemas,em busca de atingir o que? Definida a premissa, pense na estrutura do livro, defina o que acontecerá nos principais pontos, como a história irá evoluir e como vai terminar, quais elementos que ligam as partes da história. - ok, em um próximo post falo mais sobre isso!
  • Não inclua "informações" em sua história! Não fique explicando!  Este é um dos maiores erros dos livros que recebo para avaliação.  Lembre-se: toda aquela pesquisa que você fez para embasar sua incrível trama baseada em fatos históricos reais é para VOCÊ, não para o leitor.  Não fique com pena de apagar aquelas descrições intermináveis sobre o histórico da igreja católica, as dimensões do Titanic ou as funcionalidades do tanque Panzer, sua história ficará bem melhor sem elas.
  • Não queira escrever seu livro "de primeira"!  Um livro se escreve em diversos tratamentos. No primeiro tratamento, escreva o essencial, sem floreios, evitando adjetivos, frases invertidas ou "elaboradas".  Nesta etapa, a melhor forma de dizer que um gato é preto é "O gato é preto". Depois, retorne ao texto e inclua a emoção, que deve ficar presente na forma de um subtexto.  Lembre-se: uma história contada por alguém à beira da morte deve SOAR como tal, e bem diferente da mesma história contada por uma pessoa em lua de mel. Na verdade, você deve retornar ao texto várias vezes, ajustando e incluindo ganchos, cliffhangers, flashbacks, etc. Mais sobre isso em um futuro post...
  • Não inclua homenagens em seu texto! É comum, especialmente em autores iniciantes, querer colocar uma cena de sua vida, colocar um amigo como personagem secundário, inserir um local que tenha um significado especial para o autor, ou coisas do gênero.  Estes "recortes", na larga maioria das vezes, soam forçados e deslocados dentro da história.  Obviamente, você pode usar qualquer pessoa, lugar, situação ou coisa como referência, desde que planeje isto desde o início e este elemento esteja integrado na trama.
  • Não deixe pontas soltas! Este  também é um erro muito comum. No meio de uma guerra, em uma situação complicada, um soldado sai correndo para buscar ajuda. Os que ficam acabam conseguindo virar o jogo e vencer a batalha. Fim. E aquele soldado?  "Morreu, oras!".  ERRADO! Se ele morreu, deveria ter sido descrito.  Se não morreu, idem.  Ou então, tire o soldado da história!
  • Não surpreenda o leitor! Todas as histórias devem ser originais e surpreendentes, mas o leitor não deve ter "surpresas" ao ler a história, tudo precisa ser apresentado aos poucos, desde o início de cada trama. Se aquela velhinha coadjuvante sabe falar grego, não mostre isso apenas quando ter alguém que fale grego no grupo é a única chance de salvação. No mínimo, de pistas - ao invés de Maria da Silva, batize a gentil senhora de Maria Terzopoulos!
Por hoje é só, pessoal. Ficam estes recados; comentem, perguntem e divulguem!
Gostou?  este post!

9 comentários:

Daniela Gasparin disse...

Amei o post! Agora começo ter uma ideia mais clara de como e por onde começar a escrever meu livro :D Obrigada

DRIKA BAROCH disse...

Obrigada pelas dicas, sempre úteis.
Abraço!

Edson disse...

Caro Alexandre,
eu lendo o seu post me lembrei dos cursos de roteiro de tevê e cinema que fiz. E isso tudo adaptei a minha vida literária. A gente tinha que criar uma sinopse ou argumento da história que seria contada, tornando-se assim um guia.

abraços

Sueli disse...

Obrigada Obrigada Obrigada Obrigada Obrigada Obrigada Obrigada Obrigada Obrigada Obrigada Obrigada Obrigada pelas preciosidades. Um abração

Luciana Marques disse...

Amei (como sempre) seus comentários. Sou meio lerda nos assuntos sobre (bons)cursos de escrita. Para pessoas como eu, que tal fazer uma secção no blog só de indicações? Para todo o Brasil?

Abraços
Lu

p.s.: Moro em Vitória (ES), parece que estamos fora de circuito.

César Pedrosa disse...

adoorei a postagem !
e graçãs a Deus eu acho q o meu livro não tem nenhum desses erros #ufaaa

Vania Rebelo disse...

Alexandre,

parabéns por ser tão generoso e verdadeiramente interessado na arte da escrita.
Um abração!

Fran disse...

Muito bom esse post Alexandre! Adorei...
Abraços, Fran.

Helaina_One disse...

Perfeito o seu post! O curso deve ser realmente muito bom!!

Captei direitinho a mensagem... mas o que mais me falta é terminar os textos que eu começo. Quando faço o planejamento e chego ao final da história eu "fico sabendo" o final.. aí perde a graça e eu começo outra história... Tenho muitos textos assim em casa e não sei como resolver esse problema...

Bejins;